segunda-feira, 25 de maio de 2015

Repórter Elo - Onde o objetivo é definido, focado e atingido


Chega de dissipar energias em projetos mil. UM POR VEZ!

Anoto meus projetos em uma lista que serve como guia de ações. Penduro essas minhas anotações na parede. Meu lema é tudo tem sua hora e sua vez. Impressiono meu subconsciente. Autossugestiono-me. Nada pode me impedir.
Organizo esforços! Métodos! Ações adequadas para atingir o objetivo. Até tal realização minha vontade é ardente. Dirijo todos os meus sentidos tato, olfato, visão, paladar e audição para criar novos hábitos.
Ser bem sucedido é uma questão de esforço pessoal
Sou agressivo e persistente. Quando decido o que quero vou a luta com foco e força. Sou feroz nessa busca. De maneira hábil e honesta consigo cooperação dos outros. Fé, lealdade e sinceridade no propósito são primordiais nessas  parcerias.
A semente do sucesso está adormecida em cada derrota

Ao encontrar algum obstáculo, o contorno, o desfaço, pois o sucesso ergue-se contra o vento das adversidades. É preciso remover muitas pedras do caminho para alcançar o verdadeiro sucesso. Um vencedor nunca abandona a luta. O sucesso não necessita do fracasso dos outros. O sucesso é baseado na justiça e na verdade.
Leio. Assisto vídeos e filmes. Ouço. Anoto tudo contextualizando ao meu objetivo
Busco estar o mais capaz possível na atividade que me proponho a ponto de atrair a atenção favorável dos que têm o poder de promovê-la. Em harmonia mental com as pessoas a minha volta sigo rumo ao sucesso.
A oportunidade não está longe, está bem onde eu estou
Observar e analisar o exato efeito de minhas propostas e transformá-las para que sejam melhores aceitas. Descobrir as causas reais dos fracassos temporários diante do espelho das reflexões imparciais e não imersas. Cada fracasso é uma benção disfarçada, de outra forma não evoluiríamos. Coragem para assumir erros e modifica-los. Os outros só acreditam em nós quando temos autoconfiança, mas não devemos dizer somos autoconfiantes. Pense bem antes de falar. Creiamos no que possamos fazer, mas não digamos. Façamos.
Telepatia - Personalidade agradável fazem os negócios florescerem. O público compra tanto personalidades quanto mercadorias.
Organizar e classificar o conhecimento transforma e dá uma direção aos negócios
*Fazer a lista dos prováveis apoiadores e fazer algo que os agrade permanentemente até que eles apoiem os projetos. Ser pontual e objetivo em reuniões. Falar sobre as vantagens que terão ao apoiar culturalmente (com entusiasmo) pg 320 Lei do Triunfo I
Dominam-se as pessoas com eficácia somente financeiramente ou pela paixão.
Nunca sabemos o tanto quanto pensamos, somos eternos aprendizes – isso sim é sabedoria.
Andar ereto, queixo rente ao horizonte.
O tom de voz com qualidade e volumes harmoniosos.
Olhar firme e confiante, mas não desafiador
Conheça os que o rodeiam mais a fundo, as pessoas não são o que aparentam. Saiba mais sobre os outros observando quando irritados, amando, questões financeiras, comendo, escrevem, estão em dificuldades, alegres, abatidos, derrotados, em apuros, informados sobre desastre ou boa-sorte alheios, quando querem causar boa impressão, quando ganham ou perdem em esportes, quando a sós. Ssim saberá onde está a força e a fraqueza das pessoas.
Saiba que nem todas as pessoas querem saber as verdades da vida, preferem as ilusões. Ser tolerante, simpático, ter autocontrole e ser perseverante.
Economizar é bom!
Ter iniciativa, ela abre as portas das oportunidades. Fazer o que é preciso sem alguém mande.
Não deixe para amanhã. Faça agora!
O limite está na mente.
Cultive seus sonhos como seus filhos.
Seja um exemplo!
Iniciativa e liderança!
Faça mais do que esperam!
Mude! Mas com uma razão importante e evidente. Assuma! Exatidão de pensamento.
Pensar certo, é distinguir boatos de fatos
Crie oportunidades!
Planeje!
Entenda a psicologia da multidão!
Não engane as pessoas! Caráter!
Confie!



Manter-se em harmonia e equilíbrio.
O tempo cura as feridas das derrotas temporárias e corrige-as
Colhe-se apenas o que se planta


Adoreitchê

O brilho dos teus lábios
Sábios sabiam me beijar
O gosto? Doce
O cheiro das maçãs do teu rosto
O gosto
A cor? Rosa
Eu? Em polvorosa
E o povo do medo que me habita
Mutas essas pessoas se mudaram
Com você não há mais medo nem coragem
Somente o viver
Cheio? Até o meio
ahhhhh
E a poesia vem morar em meu ser
Eu e você
Verbos de amor mente a dentro
A a esse mundo mentem tanto
Que só assim aguento
As as verdades adentro
Nada mais existe
Nem o universo
Somente esse verso
No qual converso
Você existe somente aqui dentro de minha mente
É uma imagem de minha imaginação
Ou não

terça-feira, 19 de maio de 2015

Hard arde - Live livre

Como explicar o que não sei
Os dias todos estão nublados
Tenho dublado um filme no qual o roteiro está torto
A locação essa loucura de estação
Essa cidade não tem nada a ver
Sei que a estrada é longa para uma melhor estada
E eu já fui longe demais
E agora rio lágrimas
E já fui robbin hood de crianças
E já fui super-herói de ninguém nem de mim mesmo
Preciso fazer-me chorar para continuar minha sina
Que tanto me ensina
Só estou só por não querer dividir meu sofrer
A Tv me olha enquanto o rádio me escuta
E o google me pergunta
Que loucura é essa que vivo
E eu me safei
Mas estou preso a esse safar
Me agarro nesse sarrafo que no fim é só um pau
Pelo vomitar de letras estou de novo em graforréia
Óu
Ai
Óu
E o fim de novo bate em mim
Outro renascer
Mais uma fase se foi
Deu tchau e deu oi
Úi como dói

Não olho pra trás
Outra canção inauguro desse meu cantão
E o que me reprimia agora exprimo
Justo sai pela minha voz 
Um som que de tão bom
Manda embora toda a dor de despertar em meio a essa multidão de desafios
Disfarçados de erros
Coragem diz minha imagem no espelho
Com cor ajo
Renasço pra cantar que toda essa dor já passou
O tempo de liberdade de optar ae está
Olhe-me
Sou assim mesmo
Livre
E mudo de novo
E de novo


Lacuna em respeito ao passado passando passado


É, eu sou assim
Não há em mim um fim em si mesmo
Há sim um eterno sim
Um sim ao renascer
O tempo que passe

E volte
Sou eu que o conto
Em cada conto invento outro ponto
E não está e nem nunca fica pronto
Sei que vou de novo morrer
Eu sou assim
Mas há o amor em mim
Sei que estou digitando de mim sobre mim
Mas só assim me acho
Paro para beber água nesse riacho
Rio e acho
Que sempre me repito
E grito ao meu próprio mundo
Eu sou assim
Livre mesmo
De todos os preconceitos
De brancos e pretos
De acertos e erros
E essa cachoeira está a brotar de mim
Jamais secará enquanto alguém me ler
Até aqui
E sempre tem mais
Vou para a rua viver
Para ter o que anotar

domingo, 10 de maio de 2015

Solito

Grandes nóias se desfazendo
Outras se procriando
Tudo
Tudo rudimentar igual mente
O sexo em desejo
Em busca de um beijo
Caio em cima de mim mesmo
Num passado fora que tenho aqui dentro
Nas sombras das árvores
Suponho que oliveiras
Uma dissonância de saberes jurados de morte
Uma medalha de prata ofuscando o dourado e bronzeado
Momento de estar vivo aqui e agora

Tanto faz para o tempo se a altura da atitude for por uma rasteira
Não adianta parece que o tempo mostra o que não queríamos ver
Crianças sempre parece que somos
Vejo na multidão as mesmas figuras
Personalidades formadas pela humanidade
Não importa a idade
Um dia saberemos todo o que fazemos
Meninos e meninas
Bonitos e bonitas
Pessoas ricas dominando pela mente os que não...
Não hão culpas e culpados
Há somente uma consciência que faz com que nós nos
Um dia caíamos em nós mesmos
Não sei para quem já foi
Mas eu daqui onde estou já vi alguma coisa
Claro que é só um ponto observado
Por um louco solito
Só isto

sábado, 9 de maio de 2015

Contos da Lua Vaga

First F.I.S.T.

1º Permeio

quarta-feira, 6 de maio de 2015

O ái de ir e ir até voltar e voltar



Ui como dói pensar nesse caos que ae está
Quantas mães e filhos sofrendo por seus próprios desatinos
E a falta de amor nos bandidos e políticos corruptos
Ái como dói saber-se só num mundo sem dó
Mas ei
Eu sei que estou crescendo aqui dentro
E para que isso serve?
Continuo sonhando
Verdade
Lágrimas brotam e me botam a digitar cada dia mais e mais
Eu bato em todas as portas
Não importa
Corro
O vento seca minha face
Meus suspiros levam-me a não pirar
Uma pira acesa na ponta dos dedos que digitam e apontam
Me aprontam ao o que nem sei o que?
Mas essa dúvida é a dádiva de minha vida
Digito nesse teclado como se estivesse telefonando para o meu centro
Lá dentro tem alguém que sou
E está lá
No outro lado de cada face
Não é fácil
Seguir um ideal não é nada e nem tudo
É um estudo sobre...
Desculpem não posso mais
Por enquanto como que por encanto

Surge uma luz que ofusca o fusca lá fora