quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Hoje haja o que houver aja



Sei-me
Sou do sul de mim
Do meu mundo
Estranho-me
Não sou daqui
...To lendo 
Tolerando o mundo
Me d'escrevendo...
To tentando ser-me
Num mundo onde o aceito é se encaixar
Não
Não vou me encaixar
Sou livre demais
E não jogo fora meus ais
Sinto a cura perto da loucura
Livre piso em ovos e caio na gema de ser
As vezes é preciso sair do sempre e do nunca
Mas não sempre
Nem nunca
Tenho que determinar o que ser e fazer
Tudo não dá pra ser, sei
Quero devagar divagar pela vida
Com classe pedir mais uma
Livrar minhas cores do caminho de minhas dores
Sentir o clima
Hoje, haja o que houver vou continuar ou parar
Tudo bem tem mais
Libertar as amarras e a falta delas
Amar é a ação
Vou tocar o umbral e dele fazer meu varal
Varar  o amor e amar até os traidores pensamentos
Os trazer aos meus sentimentos
E amar até meus sentimentos traidores
Os trazer ao pensamento
Nada importa está aberta a porta do espírito
Estou ciente dos perigos 
Arrisco
Os riscos os imagino que sei
E se me arrepender vai ser de ter tentado
Livre de fato 
Então ok
Caminho pelas ruas
As pessoas cheias
Vou tentar me esvaziar
Olhar para tentar entender
Sem julgar
A luz solar incide oblongamente
E eu tenho que tentar 
E quero propor-me tentar até enquanto puder
Não precisa vir junto
A liberdade é esta
O próprio amor em si se sendo
E eu amo a liberdade de uma zona livre dos limites
Dos limites que nos separam
É dessa liberdade/amor que viemos e talvez iremos nos encontrar
Á isso tenho o hoje
Estou a tentar perceba
Sou um que vezes um da um
Como o sol
O digiro
E dou nisso
Nós



quinta-feira, 28 de julho de 2016

Dançar e cantar o agora

Bem vindo a mim mesmo
Sabia que um dia me acharia
Rio e acho
Me agacho e me encacho bem comigo mesmo
Estou livre
Dançando comigo mesmo
Discotecando comigo mesmo
Ficando enfim comigo mesmo
Não paro
Continuo me desnudando
Nu dando o que falar pra mim mesmo
Olho meus olhos
Molho meus óleos
Acenda a luz
Fecho os olhos e mais me mostro a mim mesmo
Nunca fui de pensar em futuro mesmo
Só quero dançar e cantar o agora
O que tenho
Sim sei sim a fim de mim estou
Só que claro as pessoas me olham e talvez pensem que eu esteja me exibindo
Mas no fundo delas mesmo eu acho que não estou fazendo nada demais
A não ser me sendo
Algo acontece comigo quando estou discotecando e dançando
Sou livre de egos, vaidades, idades...
Percebo o motivo de estar vivo
De ter largado o crivo e todos os outros vícios
Só aqui nesse momento estou feliz
E por dentro e por fora vivendo o agora
Foi uma loucura chegar até esse estágio de realização
Portanto por isso percebo que não estou mais subindo o pau de sebo social
Aceito não ser aceito
Ministro meu eu, meu Deus...
Carreguei tantos sonhos até aqui
Me despi
Só o agora me interessa
Não me estressa
Estou em mim mesmo
Dançando e cantando
No meio do salão
Feito um palhaço
Mas não é nada disso
Sofri...
E como sofri para chegar até aqui
Para ser assim
É como se meu o passado fosse um casulo
E eu desperto uma libélula esvoaçante
Parece estranho
Mas me sinto desse tamanho

Ó!!!!

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Lágrimas artificiais que nada, as faço naturais de meus ais

Olho ao espelho o profundo lago de meus olhos
Lembro do tempo de crack
Mas logo sai
E vejo pela janela de minha alma mais um lá fora
Perdido de si
Desci de mim
Estranho
Mas preciso chorar
Pra lubrificar meus olhos
Sou um legítimo head bang
Batendo cabeça atrás de uma solução
Por trás de meus olhos e olhares estou ingenuamente continuando a ser
Aquela mesma criança brincando com um barquinho de papel na enxurrada
Mas eu não sabia que a enxurrada eram de minhas lágrimas
Pois sei que fui até onde fui
Foi para me dar um oi a minha essência
E os monstros da minha infância carregaram embora a minha infâmia
E aos meus inocentes amigos que esqueceram-se de sua criança interior
Eu busco fazer isso por nossas/minhas lágrimas

Enfim fim não há
Só mais um ciclo que se fecha
O para sempre se encontra com nunca
Justiça sei não procurei
Pois ela só é feita no fim
E não há portanto assim
Não há quem possa viver minha vida por mim
Mas vou descrever um troço que sinto
Somos todos meio iguais em nossos ais
Por isso acho que busco na dor me compor
É só a correnteza de meus pensares
Pesares
Que são leves
Os levo pelos ares
E não quero trancafiar meu desafiar
E desfiar meus sentimentos
Centímetros a sentímetros
Não posso 
Não consigo
Busco sempre o sentimento em cada sentido que sigo
Dou mias um close em minhas vistas
Eclode um eu que nem eu imagino
E não termino




Greve dos sexos

Um presente melhor
Insisto está nos casais
Que filhos fazem cada vez menos bons
Assim na escolha
Não há encolha
Uivo pras ruivas
Loiras em ruinas
Morenas tão pequenas
O que há com a mulherada?
Não tenho mais sentido nada
Eih eu não troquei de lado não
E nem é sobre mim que estou afim

Danço só no salão sem dizer nem sim nem não
Vem la vem achar que sou eu
Eu quero mulher/rock pra tirar o que tenho no estoque
Se bem que eu não sei o que vou tirar de mim
Quero tirar zero na prova dos nove dos love baratos
Bah ratos de Dionélio Machado vou copiar
E colar nas costas de que encara de frente a vida ausente dessa gente
My brain dancing
My eyes esbugalham sem bagulho
Uma fagulha ascende minha mente até onde meu es´pirito conecta-se
Com os amanhãs e os ontens
Sim pluralizo
Pulverizo de mim o momento assim

A espiral helicoidal do gen humano sei desde srmpre
Sou um gol na goleira dos sem coleira
Não sou de ninguém nem quero ser de alguém
E não quero contigo viver só pra ter com quem morrer
E no fundo nem quero morrer
E muito menos envelhecer
Isso ainda vou resolver
Faço de meu braço uma flecha solo
Que aponta para o horizonte das póssibilidades
Resumindo
Ressumindo
Sou um mistério a mim mesmo
Nunca sei e nem saberei
Mas sei que um dia me lendo vou me resolver
E ressuscitar estas letras juntas
Que juntas formam meus pensamentos deformados
Mas eu queria era digitar sobre sexo
Não seco isso
Mas o modo como flui meus fluídos
E nele estão meu sêmen
Sou man
And wanted woman
One human
Me entende
End





segunda-feira, 4 de julho de 2016

reporter elo racunho




Repórter Elo
Onde a paz dos corações e a calma das mentes de motoristas bem informados, refletem num trânsito seguro.

Analise a realidade

   A questão da segurança do trânsito é importante demais para ficar restrita a poucos. A discussão tem de ser aberta a todos, para identificar possibilidade de soluções. Pense em soluções e opine.
A gente não quer só diversão
   Precisamos de boa e útil informação, não só de entretenimento e tragédias.
Observe e faça você mesmo posteriores análises.
   Pense se vale à pena dirigir sem ter consciência da conseqüência de atos impensados. Da falta de atenção, da impaciência, de não avançar a ciência da mente em conjunto com a ciência da máquina, não respeitando as leis naturais da física.
Tem corpos dentro do veículo em movimento
   O impacto de um monte de lata amassando-se junto com carne humana, a uma velocidade mesmo que baixa, dói e dói muito. Quebra os ossos e, seguidamente mata. Não pense que a máquina não tem limites (regras). Aliás a vida é cheia de regrinhas, segui-las nada mais é do que ser vivo.
Que isso sirva de aviso para vocês
   Ta lá a pessoa, no carro, toda perfumada, arrumadinha e com a pessoa amada do lado. Os amigos no banco de trás. Conversa vai, cerveja vem, carinho lá, um carrinho vindo pra cá. Um segundo de distração; a velocidade aumenta, a curva se aproxima, os pneus deslizam, o poste. Um estouro decretando o fim.
BLAM! Corpos perfumados, sangrando e gemendo entre latas no asfalto
   O que fizemos de nossas próprias vidas. Amanhã uma nota no jornal, ou uma manchete sensacional; sua morte. E agora? Cadê os planos... A família... O amor... Aquele olhar cheio de esperanças... Quem vai fazer aquilo que só você podia fazer? Hein?. Pense bem
Temos que exercitar a paciência antes, durante e após dirigir
   Paciência é o nome do jogo da vida, portanto regra básica do trânsito. Elabore, para si, uma série simples de exercícios físicos (alongamentos) e mentais (pensamentos) antes de dirigir. Valorize a vida num todo, a contemplando na sinalização, nos outros e na paisagem. Sinta a beleza do agora.-Mentalize o trajeto. O tempo que levará para chegar, despreocupado com o relógio. Dirija com atenção e alegria. Desperte o valor à vida. Valorizando a vida, chega-se ao destino tranqüilo e seguro fácil, fácil.
E lembrem-se A pressa é inimiga da perfeição  *******************************************************

Baba baby, baba hoje tem festa lá no meu apê
Que país é este? To nem aí, to nem aí



















alertar mente e corpo.Não perca o controle ninguém sabe onde você vai parar que  levar uma boa e útil informação a todas as pessoas envolvidas, diretas ou indiretamente em tais índices. De modo a exercitar cidadania e assim despertar a consciência da população de que a falta de paciência e de atenção, nos mínimos detalhes, é que causam acidentes.
A discussão sobre a questão do trânsito deve ser permanente e envolver todas as camadas da sociedade.
É preciso que ocorra uma mudança cultural, pois o desrespeito e a irresponsabilidade são os grandes problemas e os maiores causadores de acidentes. É passada a hora de ampliar os debates sobre a responsabilidade de cada um no trânsito para que possamos, de fato, avançar na solução deste grave problema"
e acidentes",
"O pior é que a tragédia atinge, principalmente, os jovens, sendo causas fortes de acidentes o álcool e as drogas. É alarmante o número de jovens envolvidos em acidentes, isto por pura falta de conscientização dos mesmos. Mediante tais constatações, faz-se necessário um projeto de conscientização direcionado a esta faixa etária.. Afim de que se contribua para uma maior e melhor conscientização de tais. Respondendo a estes anseios, foi criado o Projeto “Calma no Trânsito”.
          O objetivo geral deste projeto é destacar a importância de se autopreparar para assumir a direção ou mesmo andar nas ruas como pedestre. Esta simples intenção estará impressa em cada atividade do projeto. A calma e relaxamento serão abordados numa linguagem direta e atual, para fácil compreensão e posterior absorção. Assim gerando motoristas, passageiros e pedestres mais conscientes de que a responsabilidade pela vida é dever de todos.

” é resultado de reflexões e experiências em campo.
     Vou apresentar coloquialmente a mim e a minhas intenções com o Projeto “Calma no Trânsito”.
motorista, motociclista, ciclista, carona e pedestre.
     Sou ávido leitor e equilibrado escritor há algum tempo. Acompanhei toda a evolução tecnológica e automobilística. Com conhecimento das linguagens que causam interesse aos jovens penso possível à comunicação e transferência de valores primordiais a nossa segurança e evolução. Sem últimas verdades, mas com bom-senso e abertura transfiro o que penso.  
A meta é a considerável diminuição nas taxas de acidentes de trânsito, por conseqüência de um sistema de pensar criado e baseado na reflexão própria do ser humano. A gente não quer apenas educar o menino para atravessar a rua hoje, queremos ajudar na formação de um adulto consciente de amanhã"

de parcerias entre a sociedade civil organizada, as empresas privadas e o setor público. Com a parceria, pretende-se integrar Uma das primeiras lições dos cursos de programação visual é que os avisos e cartazes contendo mensagens de direção ou de atenção devem ser limpos, claros, objetivos e estrategicamente posicionados.


REPÓRTER ELO 2

              


O exato ponto que alicerça a certeza ante a dúvida.


                    SOMOS PARTE DESTA TERRA
Erosão cultural, seca artística e tempestades de ignorância.
Isso tudo agride a nós, que fazemos parte do meio ambiente.Alargar os limites mentais de cooperação, esta é a tarefa de cada cidadão.
                   DEVEMOS DEFENDER A MENTE HUMANA
Não colocando lixo na leitura das pessoas. Reciclando idéias, sem conservantes, para uma melhor preservação da felicidade nesse mundo cão.
                         O EQUILÍBRIO É NECESSÁRIO
Se fizermos propaganda de coca, mais coca-colas vendem. Se fizermos propaganda de tal papel, mais tal papel será vendido.
Agora nesta mesma linha mercadologicamente refletindo, se estampamos como manchete violência, mais violência ocorrerá.
                   A MORTE FOI INVENTADA PELO HOMEM
Trezentas mil pessoas foram para o litoral, duzentas e noventa e nove mil e novecentos e noventa e cinco pessoas tiveram um final de semana ótimo de sol e se divertiram bastante.
Mas cinco pessoas se acidentaram, estas sim viraram manchete.
Os familiares destas pessoas que se acidentaram, deveriam cobrar uma certa parte dos lucros do veículo comunicativo, que estampou a tragédia de sua família em manchete neste dia.




              QUEM DISSE QUE FELICIDADE NÃO VENDE
A sua cachorra foge, você entra na fossa, lê uma barbaridade acontecida a um outro casal, se consola. Vai pra fossa nasal ou um bar, é igual. Conforma-se com a fuga da cadela, escuta música ba-
rata. A desgraça alheia é o consolo, assim se atola mais na infelicidade de viver e nada mais do que desgraça ler.
                   COTOVELOS E CABELOS INCHADOS
Não fique batendo perna ou cabeça por aí, vá dormir. Depois de bem descansado, ler um livro que lhe instrua. Alimente sua mente, e aponte-se a um caminho melhor e mais feliz de se viver.
                   AS DELÍCIAS DE LER ISTO OU AQUILO
Leia de novo esta coluna, eu escrevi; leia de novo esta coluna, agora.
Não me faça perder a calma, eu sou uma pessoa equilibrada. Leu
E-Q-U-I-L-I-B-R-A-D-A- Brada- Brada, ah, ah, ah.
                  MORAL DE CUECAS
Muitas pessoas são importantes pelo que expõe, não pelo que são.
                  SE EXPOR É NECESSÁRIO
Todas as pessoas deveriam no mínimo um pouco se expor.Ter um próprio jeito de pensar, que combine com sensatez.
                  AQUILO QUE VOCE FAZ, SÓ VOCE FAZ
Deve haver uma atitude sensata para cada situação. E isso se faz pensando bem e praticando o bem.
                  NÃO HÁ NOVIDADES ESCRITA AQUI
Alguma coisa na natureza humana, nos faz sentir choque nas idéias novas.
                  NÃO É REVOLUÇÃO, SIM EVOLUÇÃO
Não há uma justa razão, para a maioria das pessoas relutarem e não lerem esta coluna novamente, com nova mente.
                  USA-SE BASQUETE PARA EVOLUIR
O basquete desenvolve melhor concentração. Sendo dinâmico, o basquete fornece ao seu praticante maior poder de decisão.
Ao tentar acertar a bola ao cesto, estamos praticando concentração, além de exercitando músculos e articulações de braços, tronco e pernas.
 
          VOCE DECIDE O QUE FAZER COM O SEU CORPO

O seu corpo, seu rosto, seu sorriso, seu gosto pela vida. Nos mais simples atos ou em tudo que o irrita,isso é bom e exercita. A lembrança da cama cheia ou a rotina da cama vazia, nada disso importa. Siga o seu conselho íntimo, na solidão ou na paixão. A vida é como esta cronesia, sem nexo nem métrica, simplesmente expressa.

A verdade choca



Lá o circo continua, eu aqui nem aí
Mas ao mesmo tempo uma angústia bate
Eu vou lá dizer o que quero! Ou o que queremos ouvir?
Pois é, eu ando na dúvida
Equilibro-me à sombrinha nessa linha
É que o prazer ausente se apresenta
Na adrena treina
Toco meus genitais a sorrir
Sou livre, balanço-os
Eu sei dizer o que sinto, assim, livre
Vc falou; imagina minha vagina
Eu disse; eu amo vc inteira se se souber
Mas a onda da moda é o monstro da “ingnorância”
Não, eu não sei a fundo tudo
Sou leve, me leve
A mágica da poesia faz sumir a dor, parece amor
A lágrima brota sei, é por tentar saber
Fale-me de vc num papel, o seu de viver
Desculpe se confundo, mas confuso ta o mundo
Decidi ser o porto alegre da minha cidade natal
Um alicerce feliz.
Entenda, sou minha tenda. Se atenda
O teclado do pc está pronto pra ser vc
Vou mudar a direção dessa conversa
Me dá um pouco que tudo muda
Não sou irracional, mas o sexo solta o animal
Os bons tempos estão a circular
Vou os captar
A cor do céu está vindo num olhar,
 a piscar
De novo as trevas se vão, se atreva
As contas estão certas, é só descontar
O verão virá, antes vcs verão a primavera chegar
É assim a vida (pra sempre), embora circular nesse vai e vem
Animo-me por entender que tentar é um começo pra chegar a ser circular
Tudo flui contínuo, está limpo agora
O amor em palavra não explica o que tento
Está no ar o que sinto
no orgone
Universo águia, terra filha
mundo galinha
o povo todo um ovo
a gente (eu) da cloaca a  espiar

sou ovo de novo