terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Enfim o fim

Meus sentidos dizem não
Meus sentimentos dizem não
O que estou fazendo?

Olhando a vida por duas janelas não minhas
Entre elas me tinhas
Mentira 
Man, me tira daqui
Sou só mais um a sofrer nesse mundo
Mas o amanhã trouxe sempre dias melhores
O certo que não ser tu não será o fim de tudo

Olhando por minhas janelas das suas
Vejo minha luta
Debatendo-me
Fora de controle
A luz não entra nem sai

Sinceramente não estou livre
Meu sêmen me tire daqui

Olhando pelas janelas vejo uma porta
Vejo outra flor perfumada
Cheio de tudo isso
Vazio de tudo aquilo
Sinto no ar que não vejo nada
Onde está a escada, a estrada

Agora sim

Vejo uma porta
Minha vida torta 
O vento da mudança adentra
Um outro eu inventa
Vida longa as verdades da vida

Eu não sei 
Não quero 
Mas olho pra trás

Dou a Deus mais um romance
Tri triste
Menti a mim
Tentei até o fim

Não tem portas 
Nem janelas
Estou num calabouço
Não falo
Nem ouço
Cadê o sol?
Só sal
Que mal eu fiz?

-Como não lembras?
Toda a felicidade que se sente
A a um outro se torna ausente

Estou querendo voltar e tudo consertar
Mas como não há
Não olho pra trás

O fim que venha 

De boas
Vamos esperar o velho tempo
Decretar lentamente
Enfim o fim




quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Fênix ou escada de descida ou subida

Eu vejo minha face pelos meus olhos refletida
O tempo passa mesmo
Assim é a vida
Olho bem
Sou um herói de mim mesmo
Tantas fases
Que frase direi a mim no fim?
Vivi!!!
Direi assim
Livre ao meu estilo fui, sou e serei
Vejo o caminho que faço
Digo ao nunca
Não
Não sou de aço
Nem de pura carne
Encosto meu corpo noutro
O show tem que continuar
Alquebrado sigo
Com minhas asas podadas
Mal?
Nem amadas
Mas eu sou livre
A escuridão vai passar
E amanhecer
E um novo amor conhecer
Minhas asas estão a se recuperar
Uma Fenix
Peço ao amor desculpas
Falhei

Mas...
Dedilho meu rosto
Acompanho minha geografia
Minhas rugas
Marcas de uma vida de poucas rusgas
Ái... como dói
Mas sou mesmo meu herói
...
Sou assim um caramujo
Um marujo
Cujo o poder magnifico é se reinventar
E estou sendo eu mesmo
Mágico
Vá digo 
A mim
O solo é a vida é o solo
Sol o sou
Vou desbravar esse céu de mim mesmo
Vou ser meu estar
Star
No solo do sol pisar
Mesmo a machucar
Não vou mau chocar meus sonhos
Eu sou assim
Um único nessa via de duas mãos que é amar
Amo
E amo
O céu e o oceano
Não me rendo
Até que desçam as cortinas
Vivo esse espetáculo de minhas retinas
Vou este texto continuar
Como pretexto de uma longa vida
Ou quem sabe terminar
E me determinar
Saia você deste texto
Estou escrevendo
Me descrevendo para mim
A vida é esse solo
Sem colo
Vou caminhar por essa noite escura
Esperando o sol nascer
E ele vai
Sei
Rei nascer
Olho para meu rosto novamente
E vejo por entre minhas lágrimas
Vozes fechando comigo
Dizendo
Segue em frente
Se enfrente
Olho meu umbigo
Rimo tudo com o mundo
E caminho pela praia
O sol que ainda raia
Perdido nada está
O papel branco e liso
Espera de mim isso
O eco do depois rediz o antes durante
Represo minha dor
Energizo o que for
Eu sou o eu sou
E esse eu sou diz que estou em meio a essa dor para crescer
Estava enjoado de ser só mais um a querer ter
Vou é me ser
De novo
Novamente
Nova mente
Rastreado por toda essa gente
Que melhor nem comentar
Não preciso só ter para atrair
Não me trair para ter
Lá venho eu
Vou terminar
Mas...
De novo vou meu rosto reolhar
Entro dentro de meus olhos
Vejo meu coração em brasas
Vejo minhas asas a se regenerar
Coloco meu salva vidas a funcionar
Voo ao alto mar
Vou me salvar
Eu sou um show
Estou como estou
Mas vou parar no ar
E como um beija flor vou
Outra flor amar


sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Nãozinho

Ei
Não se importar com o mais puro sentimento que alguém sente pela gente
É uma forma de não se importar com gente
iE

Foi com você que aprendi a amar o que não gosto

O ar desse meu suspirar vem tanto que me deixa tonto
Um vendaval
Um furacão
E está chovendo
Um piano toca ao fundo
Corro para a janela para ver ela vindo
A chuva que molha
Abro a janela
Pulo
Saio pra fora de mim mesmo
Mostro minha dor ao céu úmido
Quando essa dor passar
Sim eu vou voltar e dizer a mim
Nunca desista
Insista
Por mais que todos sejam iguais
E minha diferença cause espanto
Mesmo assim ainda vou sair do meu canto
Da fila e cantar e dançar a música que sinto
Ser essa criança que sou
Depois dessa dor a esperança renovada
Os pássaros em revoada
Alvorada
Torno
Retorno
É foda
As pessoas não me entendem


As prostitutas e nem os traficantes querem me servir
Minha dor lava
Leva de mim essa neve
Esse gelo que tomei
Daquele corpo lindo e frio
Não importa vou voltar pra casa
Mas a porta está fechada
E eu estou viajando na chuva
Eu amante do sol
Estou aqui úmido no frio
De fato precisamos amar o que não gostamos




sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Fim


Hoje acordei chovendo
E o dia chorando
Estou assim invertendo
Pelo meu rosto água vertendo 

Quem irá me salvar
Desse meu salgar
Corro para o mar
Meu de amar

Estou perdido
Sinto tanto não ter feito tudo
Pra que tanto estudo
Um sonho ter te tido

O calor invade meu corpo quente
Nem adianta cerveja gelada
Quero ser...veja entre
A noite tem geada

Escuto ainda tua voz linda
Naquele filme de minhas pálpebras continuo
Foi você quem quis não me querer
Essa dor quer decretar o fim de meu amor por ti
Fim

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Me esmero, vem...

Quando eu estiver no auge de novo
Que eu tenha a humildade
De saber que foi a dor de amor que me ensinou a buscar você
E eu consiga dar o melhor de mim para esse amor vencer
Que eu perceba em mim a vida dura do povo
E mantenha-me único entre todos, porém por todos
Aí receberei desse meu amor tudo o que mereça
Assim sendo mais do que poderia
Serei eu um rei?
Não. Dessa forma não me comportarei
Terei uma rainha e tudo por ela farei
Livre de todo o egoísmo e hedonismo que me destruía
Sim
Esse amor não foi meu coração quem escolheu somente
Foi minha alma que disse fisicamente a mim: Sim, é essa
Esquisitamente entendi sem pressa
O que eu poderia fazer?
Se não o que nasci pra ser
Essa coisa atômica em minha vida sobrepôs o meu ser que havia  até aqui sendo
O ar começou a interligar todo e tudo
E vi que a água ensinou-me pela sede seu valor
E as derrotas mostraram-me o caminho das vitórias
E toda a dor que sentia mostrou o verdadeiro sabor do amor
É bom hoje saber que nada sozinho se faz
A luz da lua vem do sol
Eu sou o que estou por você meu amor
Nosso amor fez-me ver o quanto errei
Foi eu te ver
Todo o meu ser estudei
E aprendi a lição

(Preciso terminar este texto logo
Quero sentar ao teu lado e beijar tua boca com minha língua
Além desse portuguesa aqui descrita)

Grita a terra, a vida: somos um par ímpar
Viemos o mundo limpar
E mostrar que não há futuro sem amor
Essa é a lei
Sei
Até compreender vacilei
Mas agora tenho você
No mais íntimo amor maior 
Grande no interior
Sei que já está amanhecendo
Mas é justamente esta luz primeira que força o espaço desse meu sentimento
E empurra pra fora tudo o que sinto agora
Ocupa todos os espaços de minha culpa
De ter continuado tentando
E te amando e te amando
E assim a luz dessa manhã é a semente de mais um dia que vou te amar
TE AMO


segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Ar com íris



Cheio de onda como esse mar
A gata tá
Com quem ela pensa que está
Não consigo nem falar
Mas a natureza começa a se mostrar
Um arco íris surge no mar
Nosso som rola no ar
Congelei o tempo naquele instante 
Na real parei
E não fui eu nem tu
Foi tudo fascinante
Nunca tinha sentido isso antes
Todos os meus defeitos 
Mal feitos
Se emendaram
Mudo fiquei
Mudei
Sobre mim nada sei
Conte-me mais
De como sou
A lei da qual sou rei
Não julguei
Mas não diminua seu home
O pau que a come
Desculpe por isso
Aquele piço
Esmurro o muro que divide tudo
Tua vida da minha
Até que minha voz simplesmente diz
Implora num olhar de lado
Desconfiado
Risque no mapa onde tenho que ir
Ou não
Mas vou chegar no seu coração
E vamos nos fazer feliz
Se fiz o que fiz
Foi em busca da alegria de ser feliz
O amor de amigos cresceu neu
Agora sei que você é uma mulher
Algo em mim mais que tudo a quer
Mais que as ondas do mar se fossem contadas
Com mais nuances que as cores de todos os arco íris
Não tem como contar
Todos os dias amanhecem com você
E anoitecem contigo
Ponho ou tiro
Me jogo num jogo onde tem fogo
Ascendo
Minha vida está enfim vivendo
O amor está ateando
Nós dois juntos somos a promessa da presença da natureza majestosa
E tu é gostosa
Pois eu sinto um T enorme circundando
Imagino tu se dando
Ao meu eu doando
Doendo
Remoendo cada instante
Arrogante eterno momento
Te confesso em meus olhos só há você
E em meu coração só há espaço pra você
Cassei você em outras
Mas não houve nem perto de nove
Tu é dez
Grito
Berro aos ceús
Ao sol que não se move
A quero
Estou por ti indo a nado a Índia
I love
Atravesso esse oceano e vou lá onde está o arco íris
E pego o pote de ouro que é pra mim você
Foi nesse finde que vi vindo minha vida
Veloz e atroz
Meu coração sem ferida ressurge das cinzas
O fim desse texto sacramenta
Tudo que esse coraçãozinho esta sentindo
Aqui sozinho
Fim?
Não
Vem!

domingo, 22 de outubro de 2017

Lover man


Tomei uma decisão
Peguei meu holiday e fui para a estrada
A vida na cidade é muito estreita
Não me dei
To na espreita
Peguei meu lado gay e rodei
Se eu sou eu não sei
Olho como estou
Sou o lover man
Nem sei o que isso pode significar para quem me ler
Estou a me ser
A miséria do ser não vai me conter
Sou um dez num quarto com toda a minha nudez
Tiro minha calça de brim
Minha camisa e da manga o coringa
Nasço e tudo faço antes de morrer
Afinal nascer é começar a morrer
Ai, ai, ai
A dor de amor é maior que o meu ser
Mastigo o gosto amargo de um beijo não dado
Escrevo uma carta a uma anal fa beta
Ela não entende e não atende
La vou eu...
Pela estrada
Nem sei sobre minha próxima estada
A Parada é só no fim
Arran
A ave que voa suave no azul céu
Pousa na árvore e bica a fruta
É a mordida da vida
Sou filho da fruta
O que quero é o que tem que acontecer
Estou no ar fingindo voar
Desço do altar sim caso não queira
Não quis apostar
Mas de meus ais irão sair outros casais
Que irei formar junto a mim
Sempre faço assim
Para esquecer lembro de que sou um lover man
Amo tudo
Ex-tudo um nada
De novo na via
Não via que não havia
Caminho no céu e chão
Vejo pelo vão de meus aguados olhos
Magoados?
Não
Vejo pelo coração
Percebo o muro entre nós
E ao que eu a ti sou
Atiçei
E não ti sei

Sei que ler não está na moda
Mas não entendo nada disso

Sou um fim num meio
Paro para fumar
E lembro que não mais fumo
Isso que interessa
O que somos
Não o que fomos
O ar que estou a respirar quer mais
E mesmo que eu não consiga vou tentar
Deus é a vontade de estar feliz
Como diz a cidade negra
Não nego a mim
Sem regra
Em todo o good bye tem mais