sexta-feira, 27 de abril de 2018

Luto pra não ficar puto


Bem vindo a minha imaginação
Ao desenho que digito em letras grito
Não sei o que vai sair
Vou me entregar ao prazer de escrever
O meu destino
Deus tino
Socorram-me não
Estou salvando a vida que havia perdendo
Eu sempre quis ser assim
Um perdido procurando não se achar
Onde estou
É o que sou
Sou da praia
Da loucura a raia
A rua  é a minha escola
E tu  como a noite é o meu castigo por isso
Sou seu bem sabe
Agora quem e o que é teu? Quem sabe?
O ar que respiro e prenso faz-me pensar pura mente
A força de usar o ar para me chapar consegui
De fazer a água virar cerveja ainda não
Sei que não fui nunca/sempre o mesmo
Essa minha falta de rotina tornou-se uma bandeira minha
Uma solução pra mim já foi
Não é mais
O mar é salgado por ser feito de lágrimas
Esgrimas minhas
Quero ser tudo o que sou
Sem ser rebelde ao ponto de duma ponte
Nem me conte
Tudo passa graça
Quero que olhem para mim como a si
E nessa mesa onde comem e bebem vejam-se assim
A escrita tá dita
O mundo gira até sem bebida
A estrada da vida segue ainda que só veja da hospedaria
Ou da padaria
Ria
Maria ou João
Saibam
Que escrever e ler o próprio texto é um alimento puro
Mas tão puro
Que nos fará quebrar o muro
Como que muro?


domingo, 15 de abril de 2018

Dia Amante no seu nosso céu - É terno



Um arco-íris assume completamente o céu
E a paz enfim está na terra
Somem todas as dores
E o céu mantém o azul
Todos os medos e problemas finam-se
Definisse as cores refletindo nos olhos de quem com o coração e mente olhe
E o estudo não se torna tudo
A experiência de todos são contadas e contidas
As pessoas percebem que as crianças não tem razão
Em não saber obedecer um não
E que os adultos entendam que os mais velhos não são um peso
Algo que os deixa preso
E que o arco íris redondo mostra que é bom tentar com a força de conseguir
Para conseguir seguir a missão de ser um não entre tanto sim das coisas como estão assim
Os mais velhos são o elo da noite para o dia
Existem coisas que só o tempo deposita
É que a rapidez do vento não enche o pulmão pra sempre
E nem mesmo bebendo toda a água que possa eu nunca mais vou sentir sede
Traio os tempos se for assim
Não respeitando os mais velhos que são o tempo se mostrando no corpo vivo
E por mais que eles não saibam qual é o maior sucesso dessa semana
E nem mesmo usem o último grito de: Compre! da moda
Aos mais jovens e aos mais velhos urge conexão
Surge no céu todas as cores que já foram modernamente criadas
As cores das bandeiras todas num arco-íris
Tenho que sair do meu canto e encantar
Estou ficando velho e não vou e não quero ser tratado como um capacho
Todos os que sobrevivermos
Vamos envelhecer
Ntaum vamos tmbm
Dançar os dias da velhice
Cantar os dias da velhice
Da nova velhice
Dos novos velhos
Dos belos velhos
Vou andar por ae
Dançar do jeito que posso
Cantar do jeito que posso
Transar do jeito que posso
Pra sempre vou querer viver contigo
O fogo mantém-se aceso sem azulzinho
O vermelho da cabeça da minha piça
O branco de meus olhos
O viço de noviço
Livre do tempo que passa
Do xixi que assa desde criança
Da longevidade deste texto
Vou continuar a contar meu lindo viver
A luz me privilegia as rugas
As rusgas que não mantenho
As ruas que não pisei
Como é bom viver até de velho morrer
Todo meu corpo usar sem egoísmos
Tive muitas oportunidades de mudar
Mas minha vida torta não seguiu a reta imposta
Olhe pelo meu lado
Por que seria diferente
Se todos seguiam caminhos iguais
O que minha alma de artista diria se eu vivesse a normalidade
Enquanto tinha idade de fazer tudo o que tinha vontade
Vou é aproveitar meu poder de comunicar o que sinto
E tornar-me de novo de um ovo à um pinto
E acabar só quando tiver como achar vontade de retornar
Fimifiz

sábado, 14 de abril de 2018

Estilo de amar


Tempo passe rápido
Quero ver minha história contada daqui a muitos anos
Algo sobre minha luta
Sobre minha lida para manter minha vida
E por todas as bordas que andei
E as vitórias e derrotas
Todas contadas epicamente
E que o espírito humano não só
Mas também o mais que humano em nós
Perceba que o que nos enseba
Trai
E eu ainda daqui digo
Nunca traí o que há de melhor em mim
E sem mais
Mas com mais
Brilho nas estrelas
Ou reflito no mar lindo
Ou mesmo numa poça d’água no chão
Sei que talvez quem estiver lendo-me agora poderá achar que estou me despedindo
Mas não é nada disso aqui
Estou mudando de vibe
De city
E vejo algumas pessoas sumindo
Estou assumindo minha vida
E eu quero que você que me lê consiga
Ou ao menos tente sair da manada
E consiga olhar para as estrelas
E perceber que o nosso lar está lá como cá
Estamos indo sempre de encontro ao cosmos
E nesse caos vivendo
Estou recomeçando
Meu estilo de amar


Nunca Kiss


Ela anda provocante
Uma comida para quem como eu está com fome
Ela brilha como o sol
É uma brisa quente
A a um eu ausente
Uma onda de retorno a beira que me salva do abraço de um afogado
Ela causa um ar de idolatria que vem de dentro de mim
Sem explicação
Sei que não devo me apegar
Mas pode ser tarde para qualquer não
O desenho que fiz dela em mim tá feito
Saio por ai e por aqui
Sem chão
É que estou afim de ir até lá
E beijar aquela boca macia
Lá vou eu
Um desespero de alma
Calma
Ui
Suma da minha vida
Volte sumida
Crio um bafo no vidro do que duvido
E escrevo
Digito
Meu grito
Te amo
Eu
Ai
Como dói
Eu não mais sou igual
Sou outro animal
Quero-me-te
Ai
To numa selva sem cão
To numa saída fechada
Tipo da boate Kiss
O ar me sufoca
Falta
Alta
Ta
Ah
Que fumaça preta no ar
Vou mudar de canal
Não vou ser carnal
Eu sei a cor do céu muda absurdamente numa tormenta
Eu sei do sol seu calor e luz por tráz
O sou
Nunca mais vou cair desse prédio que quis me atirar
E esse nó em minha garganta vou tirar
Vou levar meu lençol pra lavar e secar ao meu intenso retorno respirar
Eu estiquei este texto até compreender o que eu estou sentindo
Tentando dizer
É que sempre tem mais
O kilo do peso daquilo
Não faz mais parte da gravidade
Está pesando pra cima
Estou voando
Por isso arrisquei
Atirei-me
E assim tirei-me
Não sei
Mas vou continuar
E sei que disso vou lembrar com carinho
Ir até ao fundo de minha depressão e retornar sem remédio algum
E nenhum poderia ter feito melhor
Nem Merlin
Brilha agora no céu a luz que bate em mim e reflete o que há de melhor em mim
E do texto o fim?
Não há
Enfim estou sendo outro animal a animar
Outra incontável onda no mar
Tenho que contar
E Amar

sábado, 31 de março de 2018

Sei que não 6 eis a questão


Choro
Chuva
Shiva
Disse o que ouviste
Ou não visse
Rei
1,2,3
Cadê vocês
Fui só lá mais pra mais uma pegar
Não vem mancar
Jure com as mãos juntas nunca mais me pegar
Já que sou brasileiro
Sou daqueles trouxas que acredita no amor
Pare
Rare
Não pare
Não rare
Sei que dois fomos somos três
E três e três da seis
Six
Sex
Seis direções
Seios
Sei-os
Estive onde vais
Baby
Bebi disso ai
Sei da força do sexo
Nexo
Ex
0


Mif Mif Mi fiz de fim


Quem está aqui em mim?
Quem não quer sair daqui?
Suma
Se vá
Tudo bem continue
Nua na sua
Eu entendo sua vontade de não sumir
Mas suma
Assuma
E tente com vontade de ganhar
Assuma
Andei por ae procurando você em outras vaginas
Imagina que não achei
Franco sou
Fraco fui
De fato aquele fato que abortas-te fui eu
Teu afeto
Fostes dos amores de verões o que mais me esquentou até aqui
Mas foice
Livre estou de novo
Quero te dizer que nada tenho a te dizer
Que vou de velho morrer
E nunca mais
Nunca mais
Tanto faz
Lembro de quando era criança
Brincava de pegar e de esconder
Não tenho saudades disso brincar
Amores se foram
Mixturo tudo
É que faz tempo que não escrevo
Ó como é bom voltar para o que se nunca quis abandonar

sábado, 23 de dezembro de 2017

Um eu meu

Pessoas
Músicas
Bebidas
Buscas frenéticas
Prazeres perdidos
Beijos babados em bocas nada ver
Sexo sem deleites
E eu um eu
Evocado
Educado
Fora de moda
Hetero
Inteiro